Comportamento|Guias|Relacionamento

E AGORA O QUE É QUE EU FAÇO?
Um guia quase completo pós-divórcio

A maioria de nós quando decide casar, quer que seja para sempre, quer que seja bonito, acredita que o (a) parceiro(a) é uma pessoa foda, fantástica e vai ser o(a) companheiro(a) perfeito(a). Mas infelizmente não temos como prever quanto tempo irá durar e nem se será bom, precisamos viver para saber.
O fato é que atualmente no Brasil (IBGE) cerca de 31% dos casamentos acabam em divórcio. E aí, se tornou um número nessa métrica recentemente? Está com o coração em frangalhos? Então, colega, tenho algumas coisas para lhe dizer.

Primeiramente quero esclarecer que não tenho nenhuma formação em psicologia e os conselhos que dou aqui foram baseados em alguns artigos, vídeos e em puro empirismo: experiências próprias ou conversas com pessoas que tiveram experiências semelhantes.

Imagem de pilares romanos

Os pilares

Acredito que o primeiro e mais importante passo depois de uma forte ruptura como um divórcio é você buscar apoio de sua família e amigos. Eles são parte da base da sua sanidade diante da loucura que o mundo é. Então, se abra, desabafe, xingue, esperneie, chore, enfim, se conecte e converse com quem ama você e de quebra com você mesmo, pois quando falamos e nos ouvimos, resolvemos muitas questões dentro de nós.

Mulher segurando o celular

Cortando o mal pela raiz

Ficar falando com o (a) ex pode não ser uma boa ideia, a menos que ambos estejam muito bem resolvidos… o que não é seu caso, senão não estaria lendo este texto, não é?!
Corte contatos, bloqueie nas redes sociais para evitar a tentação de olhar o perfil, exclua aquelas pessoas que só têm a ver com ele, seja um pouco radical nesse quesito.
Caso o (a) ex seja insistente em falar mesmo após a resolução de todas as coisas legais, bloqueie o e-mail, mensagens e só permita algum canal de contato no caso de extrema necessidade como guarda compartilhada dos filhos.
No caso da necessidade da conexão, seja clara (o) sobre o que não quer conversar de modo assertivo e guarde todos os e-mails e mensagens… a gente nunca sabe, não é?!

Casal se beijando no pôr do sol com grande X branco em cuma sinalizando separação

Lembrança boa é o ca#$&%@!

Olha só, nada de ficar relembrando o que é bom, até porque se fosse bom mesmo vocês ainda estariam juntos, não é?! Se você ainda pensa romanticamente no (a) ex, mas quer esquecer, sabe o que você primeiro precisa fazer? DECIDA esquecer de verdade. Não é que a decisão vá lhe fazer apagar aquele sentimento na hora, mas ao longo do tempo eu garanto que vai.

Depois de decidir, o ideal é você lembrar de tudo que foi ruim (especialmente quem foi o mais prejudicado): de brigas, de como vocês não combinavam e de tudo que a pessoa lhe impedia de fazer por divergências de gostos ou opiniões. Lembre-se das vantagens de ser solteira (o) como não dar satisfação, não ver aquela cunhada chata nunca mais, mais espaço na cama etc. e deixe as desvantagens para depois, quando estiver pronta (o) para a próxima.

Três amigos sentados se abraçando fraternalmente

Compartilha!

Se você conhece alguém que já passou por algo parecido tente conversar com ele (a). É poderoso o efeito que tem uma conversa com alguém que realmente entende o que você está passando, pois é basicamente o olho apurado sobre o fato já vivenciado observando tudo de fora; o modo ideal de ver. Foi desse modo que eu e o meu melhor amigo nos tornamos melhores amigos =p (Ro, amo você!) <3.

Urubu empoleirado em árvore alta com céu azul atrás

Cuidado com os urubus

Sabe quando você está andando tranquilamente na rua e BRO-TA-DO-CHÃO aquele ser dando em cima de você? Multiplique por mil e você terá o número certo de urubus sobrevoando. Não é regra para todos, mas é provável que tenha pelo menos um (a) ser urubuzando você.
Na maioria dos términos de relacionamento, a nossa autoestima fica abalada e tendemos a ficar mais carentes. Nós sabemos disso, e AS OUTRAS PESSOAS também, os boatos correm, não é?! Então, não dê chance a um (a) aproveitador (a) de meia tija fazer um machucado por cima do machucado ou mesmo evite começar outro relacionamento sem estar devidamente preparado para isso: além da possibilidade de se magoar, você também pode magoar seriamente alguém que não precisa ser envolvido na situação.

Homem velho fechando o livro

Sua vida deve ser um livro aberto para poucos, meio aberto para alguns e BEM FECHADO para a maioria.

Se eu tivesse tido uma atitude como esta quando era mais nova, muito antes de me divorciar até, talvez eu tivesse diminuído consideravelmente o número de problemas no caminho.
Evite falar para a muitos o que está ocorrendo em sua vida. Para a maioria das pessoas seja breve e discreta (o) na descrição dos fatos ou mesmo educadamente diga que não gostaria de falar a respeito, caso não se importe de fazê-lo. A maioria daqueles que chegam para conversar são meros curiosos interessados somente em saber sobre os BABADOS e não em lhe ajudar.
Tente ainda não falar mal do (a) ex para qualquer pessoa. Por mais que a pessoa tenha errado com você, saiba que todo esse sentimento ruim um dia irá passar e se você exagerar sobre o que disser, mentir ou mesmo contar coisas íntimas demais, pode vir a se arrepender amargamente no futuro.
Sei que às vezes a gente precisa xingar, falar coisas ruins, então busque alguém de inteira confiança para fazê-lo somente como um ato de expurgo.

Pessoa triste sentada no chão de cabeça baixa

Não finja o que não sente

Colega, você está na merda, não é? Para que fingir que está bem? Só para mostrar para o (a) ex? Honestamente, o esforço para parecer bem vai ser maior do que se jogar no que sente e certamente seu (ua) ex não merece isso. Então mergulhe no poço fundo que é a fossa sem medo de ser triste, porque, afinal, é tudo que provavelmente você consegue ser no momento.
Respeite os seus sentimentos, o que você é, o que viveu e a ferida aberta. Sei o quão difícil é pensar positivo quando estamos muito mal, mas é importante que você saiba que tudo na vida é baseado em momentos e que cada um deles passa, cada sentimento vai embora, até mesmo os mais horríveis, um a um… passa de verdade.

Homem com dedos entrelaçados atrás da cabeça em sinal de estresse.

Cabeção cheio demais pode explodir

É importante segurar a onda no trabalho, mas se sentir que não dará conta em um determinado dia, fale com o seu superior, explique brevemente a situação e peça um dia ou dois para melhorar o astral. Mas é importante que não perca tanto o foco no pilar que poderá ser uma das escadas de emergência que precisará durante o processo de cura: sua profissão. Ela te empodera de diferentes maneiras, as quais você precisa manter para não deixar tudo desmoronar. Dignidade acima de tudo!
Seja lá o que faça, procure fazer ainda melhor, ocupe sua mente com o trabalho e não somente isso, mas também busque bons hobbies para arejar a cuca. Só digo que não exagere, não ocupe todo o seu tempo, você precisa de momentos para sofrer a dor da perda, precisa refletir sobre o que houve. Fugir não adianta de nada, pois por mais que agora consiga, uma hora ou outra toda aquela porcaria vai lhe cair na cara e pior, ainda maior e mais confusa do que se você tivesse resolvido no momento certo que é no começo.

Mulher com boca tampada por fitas e por seu próprio dedo fazendo gesto de silêncio.

Evite ouvir comentários sobre a criatura

Se alguém chegar começando a falar algo sobre o (a) seu(ua) ex, interrompa imediatamente! Sério! Contenha a sua curiosidade. Aquilo não vai trazer nada de positivo, muito pelo contrário.
Não queira saber se está com alguém, se fala mal de você, se está com saudades, se o (a) viram passeando com outra(o), seja lá o que for, não faz mais parte da sua vida. Sei que a curiosidade vai bater, mas se você se contiver, o seu eu do futuro próximo vai lhe agradecer como ninguém, posso assegurar!

Pés de um casal pronto para dançar

Balança esse esqueleto!

Há várias atividades que ajudam no processo de recuperação como academia, aulas de canto, esportes em geral e muitas outras a depender do que mais lhe cativa. O importante é liberar endorfina, que é aquela substância que ocorre durante e depois da atividade física e reduz o estresse, regula as emoções e nos faz ficar mais relaxados.
Eu, particularmente, indicaria uma prática que envolva mais pessoas, como dança de salão (zouk, bachata, forró, samba de gafieira, salsa, sertanejo…), pois além da endorfina, você tem o contato humano e conhece pessoas diferentes.
No meu caso a dança fez TOTAL diferença. Posso dizer que me livrou de uma depressão mais pesada, além de me trazer uma nova paixão na vida, o Zouk.
Tem gente que acha que dança de salão é coisa de velho, bem, na verdade é coisa de velho, mas também de criança, adolescente e adulto, veja só! Nas academias que frequentei vi idosos sim, mas até em menor número que outras faixas etárias. Aliás, posso afirmar que conviver com pessoas de diferentes gerações engrandece sua experiência e amplia sua visão sobre a vida e o seu leque social sem dúvidas, ou seja, abra a cabeça e o coração.

Viajante olhando guia de viagem.

Wanderlust-se, mas nem tanto.

Viaje, conheça nova culturas, tenha novas perspectivas, pinte os seus olhos com cores nunca vistas antes por você, isso vai fazer um bem que nem imagina! Mas eu diria que todo lugar é lugar de ser triste, portanto antes de fazer uma viagem muito longa sozinha (o) ou mudar-se para um outro local, se recupere mais um pouco, volte à sua integridade psicológica e física. Por mais fantástico que o lugar seja, é importante que no começo esteja perto de quem ama ou pelo menos em um local familiar que auxilie na melhora.

Mulher dormindo

Se economiza!

Meu bem, sei que muitas vezes você terá vontade de não voltar para casa, de passar dias e noites fora, nas baladas, bebendo que nem doida (o), gastar toda a sua grana com noitadas. Olha, não digo que nunca o faça. Faça sim! É bom! Mas não o tempo inteiro. Vai com calma.

Para se recuperar do baque você precisa de um combo específico que muitas pessoas costumam subestimar: comer, dormir, não se intoxicar (muito) e se exercitar. Isso parece óbvio (e é), mas quando não estamos bem não conseguimos pensar direito, só vamos no fluxo. Entretanto, como disse Lenine em uma de suas canções, “não deixo a vida me levar, quem leva a vida sou eu”. Tome as rédeas da sua vida na medida do possível, controle os impulsos e mesmo que se permita ir às noitadas, tenha parcimônia para assim manter o corpo saudável e recuperar a mente mais rápido. ACREDITE, COLEGA, este é um dos conselhos de ouro desse texto.

Pessoas em um show

Falando em balada…

Não tem como não falar do amigo de balada. Ahhhh esses amigos de balada! Tão importantes e…rasos! Certamente essa galera da “bagaça” vai ser essencial para você ter boas companhias em festas, danças, noitadas, churras e afins. Mas não espere deles as atitudes de velhos amigos e evite falar sobre seus problemas, primeiro porque vai contra aquele conselho láaa de cima (não se abra para qualquer pessoa), segundo porque você pode ouvir o que não quer como alguém falando que você reclama demais, que só fala do (a) ex e coisas do tipo, o que é altamente desnecessário para quem já não anda muito bem. Espere deles somente o que eles podem lhe oferecer: diversão.

Além disso, não se ponha em situação de risco: não se intoxique ao ponto de perder a consciência, ou quase perdê-la, principalmente perto de pessoas nas quais você não pode confiar. Você pode terminar se machucando mais. Evite o embaraço!

Quarto iluminado

Minha casa, minha vida

Seu cafofo, seu reino, seu cantinho… é lá que você vai devagarzinho se recuperando e recobrando fôlego para a nova vida. Sei que às vezes pode ser difícil querer ficar lá, mas tente. Aproveite e mude as coisas de lugar, compre umas plantinhas para dar uma vida, mude um móvel, pinte uma parede, compre umas prateleiras e ponha uns quadros bacanas nela, mude o sofá de lugar, compre uma poltrona nova… dê um ar de novidade ao seu ambiente. Fiz isso e me ajudou muito a partir para o novo.
Se você saiu da casa onde estava, procure mobiliar seu novo lar com peças que lhe tragam conforto visual, além do físico: madeira, cores suaves, plantinhas, porta-retratos com aqueles que estão lhe ajudando no processo de recuperação. Leva um tempo até que se sinta em casa, eu sei, mas lembre-se que casas são só casas, o lar é você transbordando pelos cômodos.

Caixa com lembranças

Joga fora no lixo e merda na Geni?

Sabe cartões de amor, fotos lindas, presentes e tudo aquilo?! Ainda é seu. Não é do outro. Você ganhou. Se lhe fazem mal, bote tudo numa caixa, lacre e abra quando se sentir preparada (o). Com as fotos do computador/celular, faça uma pasta de tudo que era relativo aos dois, zipe e coloque o nome dela começando com a letra “Z”. Vai ficar láaa em baixo e você nem vai perceber que está lá.
Quando o turbilhão passar e você se recuperar, talvez seja bom ter uma lembrança do seu passado. Então aí sim você decide o que jogar fora ou ficar.

Mulher chorando

Não está conseguindo dar conta?

Se você perceber que não consegue voltar à sua vida normal ou que está mais difícil do que pode aguentar, não hesite em buscar ajuda de um psicólogo E um psiquiatra. Sim, dos dois. Como já é muito bem sabido, esses dois especialistas juntos são essenciais no tratamento de problemas psicológicos, coisa que quase 100% das pessoas têm em algum ponto da vida. Então nada de preconceito, certo?!
Eu busquei e, embora não tenha tomado medicações, fiz um tempo de terapia para ajudar a clarear as ideias. A vida já dá uma bela melhorada!

Ajuda ao próximo

Segura o tchan!

Sei bem pelo que você está passando. “Não é fácil” é pouco para descrever como separações arrancam nacos do nosso coração e de como as pessoas subestimam a dor do término de uma relação romântica. Mas isso não importa, cada um tem seu tempo, seu modo de sentir e de se reerguer. Respeite sempre o seu.
Trabalhe o auto-perdão, caso você acredite que também tenha cometido erros sérios que colaboraram para a separação. Trabalhe o perdão ao outro, caso tenha sido machucado. Mas não precisa forçar, faça na hora que se sentir preparada (o). Também não tome para si culpas que não são suas e não permita que ninguém o faça.
Sei que neste momento o tempo é inimigo e aliado, leva e traz muita coisa, mas se você souber usá-lo se cuidando da melhor maneira, não se entregando ao que é negativo sempre e estando perto de quem lhe ama, certamente a paz voltará um tanto mais rápido aos seus dias.
Nunca, mas nunca MESMO se esqueça do valor que tem e que a reconstrução pode trazer tanto bases mais fortes, quanto expurgar pessoas e situações que não valiam a pena para você.Saiba que um dia você será grata (o) por tudo isso também.

Os escorregões acontecerão e eles fazem parte da jornada, mas segura o tchan, colega!

Capa do Livro "A Arte da Felicidade

 

 

Leitura indicada: A Arte da Felicidade – Um manual para a vida | por Dalai Lama em coautoria com Howard C. Cutile (psiquiatra)

 

Passei uma época desacreditada do amor real entre um homem e uma mulher e este vídeo me fez mudar de ideia. Ainda bem!

 

 

E você? Passou por algo assim ou teve alguma experiência que gostaria de adicionar ao texto?